quinta-feira, julho 24, 2014

Sobre os florais

Recebi há algum tempo um comentário de uma pessoa querida que vem sempre aqui. Achei maravilhoso o feedback que ela escreveu a respeito do post Vá ao dentista e... relaxe! pois me gerou uma boa reflexão e me deu a oportunidade de esclarecer alguns pontos sobre a terapia floral. Para preservá-la, vou copiar o comentário aqui e mantê-la em anonimato. 
_______________________________

Carol, 

Usei e abusei do Rescue ontem, algumas horas antes da consulta e na hora de entrar na sala tb... Infelizmente, não adiantou muito... Fiquei até decepcionada comigo mesma, estava me sentindo confiante na sala de espera, mas assim que sentei na cadeira o medo falou mais alto... Foi demorado, dolorido e traumático, até, mesmo com o floral, com as técnicas de respiração e as mentalizações que tentei fazer... E já fico nervosa pensando no retorno - semana que vem... 

_______________________________

Querida amiga,

Que pena todo este sofrimento na cadeira do dentista! Fiquei aqui aflita só de ler sobre sua agonia! Uma pena que o Rescue não tenha sido a escolha certa para você neste momento.

Os florais são, sim, maravilhosos e transformaram meu caminho numa caminhada muito melhor, mais leve, mais colorido e mais confiante nestes dez anos em que eu os utilizo. Assim como transformaram positivamente a vida da minha família e de meus clientes. Os casos de sucesso são tanto que não dá para contar!

No entanto, percebo que muitas pessoas esperam dos florais algo como “trago a pessoa amada em três dias”. Sim, muita gente me procura esperando das gotinhas um fenômeno que possa resolver o que muita coisa antes (alopatia, anos de terapia) não resolveu.

Milagres não acontecem. Embora muitas vezes pareça que sim. A terapia floral é um tratamento que precisa de cuidado e de continuidade. Assim como todos os outros. Reiki, terapia corporal, psicoterapia, medicina alopática.

Algumas pessoas me procuram, fazem uma consulta e ficam repetindo aquela fórmula infinitamente, mesmo que as questões e a vida tenham se transformado _ e elas sempre se transformam. A receita passa a ser inócua e, então, a pessoa me escreve novamente oito, dez meses depois decepcionada porque a fórmula que parecia tão maravilhosa no princípio já não funciona mais. É claro que não!

Os posts que aqui escrevo são para esclarecer e explicar mais sobre os florais e mostrar que eles podem ser um caminho natural e muito eficaz para a cura da alma, para a calmaria do coração, para o fortalecimento da autoestima e tantas outras coisas boas mais.

No entanto, é importante a orientação particular de um profissional na escolha das essências. Cada ser humano é único e tem sua história de vida singular, original que precisa ser avaliada como um todo para compor a receita dos florais. Um caso clínico que aqui escrevo, serve para exemplificar e não como um modelo pronto a ser copiado na íntegra.

Veja seu caso. Além dos florais você usou técnicas de respiração e meditação que também de nada amorteceram seu medo. Será, então, que você tem medo ou será pânico? Ou trauma? Sem dúvida há algo mais que precisa ser avaliado a fundo para entender. Seu exame foi dolorido? Aí é responsabilidade do dentista e não dos florais, da meditação ou das técnicas de respiração. Você diz também que foi longo...também é responsabilidade do dentista.

Deixo aqui, um parágrafo para reflexão. Por que quando há uma epidemia, um surto, uma virose algumas pessoas ficam doentes e outras não? Por que algumas pessoas reagem bem a um medicamento e outras não? Por que alguma pessoas se curam e outras não? Por que em algumas doenças graves algumas se recuperam e ganham uma sobrevida de dez anos enquanto outras vem a falecer?

A resposta está na alma de cada um de nós.

Agradeço a cada um de vocês que vem aqui ler, comentar, enviar e-mail, se consultar pois aprendo e cresço muito, de verdade, com cada pessoa com que tenho a oportunidade de trocar experiências, que é como eu defino meu trabalho como terapeuta floral: uma troca que alimenta minha alma e meu coração.

Meu carinho e muitas flores para todos!


Para ler mais sobre florais e automedicação, clique aqui.

terça-feira, julho 22, 2014

Sou grato por...

Gratidão.

Para mim, um dos sentimentos mais bonitos que há. 

Escrevi recentemente que focar nos fatos pelos quais você é grato é como acender um interruptor em sua mente: quando você deixa as coisas boas estarem no centro de tudo, as estressantes naturalmente perdem espaço dentro de você. 

Para Leonardo Soares, do Rio de Janeiro, o sentimento de gratidão surge quando ele lembra do apoio que recebe de sua família. Da mesma cidade, Bruno Durão sente-se grato quando reconhecem seu esforço e lhe fazem um elogio. 

Sentir-se grato é uma maneira de sintonizar com as coisas boas que nos acontece e tem grande poder transformador. Agradecendo você não só reconhece os aspectos positivos de sua vida como os reforça este sentimento dentro de si. O carioca Rafael Tancman exercita este sentimento diariamente. "Toda vez quando eu acordo... Fico muito grato de poder levantar da cama e viver mais um dia!”, conta ele.

Faça uma lista diária de três a cinco coisas específicas pelas quais você é grato: "meus amigos que estão sempre por perto", "a pizza e as risadas divididas com minha irmã", "cheiro de chuva", "um banho quente depois de um dia estressante". Um momento aparentemente simples da vida que faz aflorar em você este sentimento tão bonito. Com a prática diária, a gratidão se torna um estado de mente natural em você. Saiba mais sobre o assunto aqui ou aqui.

Clique na imagem acima para ler o depoimento de algumas pessoas especiais.


E você, sente gratidão em que situações?

Siga o Terapia no Instagram: terapiafloral

segunda-feira, julho 07, 2014

Pausa colorida e relaxante



Por que ao invés de aproveitar seus quinze minutos de pausa no trabalho tomando café ou navegando na Internet, você não desfruta deste intervalo para acalmar a mente pintando mandalas?

Diz-se que trabalhar com esta forma geométrica traz vários benefícios para a pessoa como a prevenção de stress, o aumento da capacidade de atenção, concentração e criatividade e sensação de calma e paz interior.

Clique aqui para imprimir algum modelo e se deixar levar pelas cores e que escolher para pintar.

quarta-feira, julho 02, 2014

Sem medo de faltar

Não há dúvidas de que a crise econômica mundial e as vagas de emprego cada vez em número menor preocupam muita gente. Mas daí a achar que o futuro é uma completa escuridão e ganhar rugas de preocupação ou perder noites de sono com isto há uma diferença enorme.

A crença de que o dinheiro vai faltar ou de que não será suficiente muitas vezes é um condicionamento que vem da infância. Focar no que não tem, sentir-se limitado em suas habilidades ou achar que dinheiro é impuro e não traz felicidade são algumas destas crenças assimiladas mesmo sem querer.

É claro que não dá para ficar de braços cruzados esperando as moedinhas caírem do céu. É preciso empenho, dedicação mas também tranquilidade e confiança em viver um dia de cada vez, sem ficar imaginando que será atingido por uma catástrofe econômica ou um castigo divino assim que cruzar a esquina.

Ambrosia, de Minas, é uma essência indicada para os que têm medo da falta de recursos vitais e trabalha a confiança da Providência Divina.

O Bluebell (foto), do Bush australiano, é para os que não acreditam na abundância universal, de que tudo será provido sempre que necessário. Pode ser tomado sozinho ou no composto Abund Essence, indicado para os pessimistas e os que tem consciência de pobreza muito arraigada. Este buquê libera as crenças negativas _ incluindo os padrões familiares _ daqueles que temem a escassez.

O sistema de florais do deserto tem a Celebration of Abundance Formula excelente para os que estão empacados nas mesmas questões financeiras pois promove a abertura para nosso estado natural de abundância.

Estes florais trazem a mensagem de que é possível confiar no futuro, limpando padrões mentais como o pessimismo, a avareza, o egoísmo e trazendo a fé e a capacidade de compartilhar com amor e alegria.


quinta-feira, junho 26, 2014

Sobre a compaixão

Recentemente assinei uma revista com um título bem sugestivo: Live Happy (Viver feliz). O conteúdo é ótimo, positivo, pra cima, cheio de dicas boas.

Na edição de junho, veio uma matéria muito bacana relatando que, ao ajudar a curar (ou melhorar) o mundo, nós construímos nossa própria felicidade.

A matéria cita o Dalai Lama como uma das pessoas que dizem que a compaixão é essencial para o bem-estar geral. Ele diz que amor e compaixão são necessidades na vida, não luxos. Eu concordo e assino embaixo.

Segundo a revista também, o neurocientista Jordan Grafman do National Institute of Health provou através de estudos que atos de caridade ativam áreas no cérebro relacionadas ao prazer. Está provado: dar realmente é uma alegria. 

A matéria é longa e o ponto central é sobre a importância de doarmos amor, seja como for. Eu, que já adoro o assunto e acredito que amor é ação, não só falação, pensei em alguns florais que buscam o compassivo e a bondade dentro de nós.

Num mundo movido a selfies, ter o olhar amoroso para o outro pode fazer toda a diferença no dia de alguém. Já pensou nisto?

California Wild Rose (Califórnia) - instaura em  nós a capacidade de se interessar pelos outros.

Scotch Broom (Califórnia) - ajuda a perceber as dificuldades que existem no mundo (e são tantas) como uma oportunidade de ser bacana com o outro.

Mallow (Califórnia)- excelente para quem precisa mostrar calor humano.

Heater (Bach) - indicado para quem só se preocupa com os próprios problemas e não tem empatia pelos os dos outros.


Yellow Star Tulip (Califórnia) - para os que não têm percepção do sofrimento alheio. Ajuda a pessoa a desenvolver receptividade aos outros.

Siga o Terapia no Instagram: terapiafloral

segunda-feira, junho 02, 2014

E Mrs. Palacios se foi....

A semana começou triste. Hoje cedo, a escola do meu filho mandou um comunicado contando que a professora de espanhol dele, Mrs. Palacios, havia falecido na manhã do dia anterior. Ela perdeu a batalha contra um câncer devastador.

Voltei no tempo, para janeiro, quando o ano letivo recomeçou após o breve feriado de Natal e Ano Novo. Foi nesta volta às aulas que Mrs. Palacios apareceu com o cabelo raspado e contou aos alunos o que estava acontecendo.

Lembro do meu filho chegar em casa, triste e impressionado, dividindo a notícia comigo. Entrei em contato com ela por mail e disse que gostaria de enviar uma lembrança. Preparei quatro Word Rocks com palavras bem positivas e entreguei. Alguns dias depois recebei uma mensagem de Mrs.Palacios, dizendo o quanto havia adorado as pedras. Junto veio uma foto mostrando onde ela as havia colocado em casa.

O tempo foi passando, ela parou de lecionar e ainda assim mativemos contato por mail. Lembro muito de uma mensagem em que ela dizia que seu grande sonho era poder ver a filha, de 9 anos, se formar e se casar.

Desde que recebi o mail da escola hoje cedo, não consigo parar de pensar na filhinha dela e nos sonhos da mãe que não serão realizados. É impossível não se comover. Sei que a vida é feita de partidas e chegadas, de boas e más notícias, de ganhos e perdas, e ainda assim, o coração se comove e afunda.

O floral Borage (da Califórnia, na foto) é um bálsamo para o coração. Ele atua como tônico em pessoas deprimidas, tristes, desanimadas, que sofrem com angústia e sensação de aperto no peito.

Assim como Borragine (Minas) que proporciona alívio às aflições, afastando pensamentos negativos e trazendo leveza através da renovação e surgimento de novas perspectivas pessoais, otimistas e cheias de entusiasmo.

A vida pode parecer pesada às vezes mas estes florais estimulam nosso coração como centro de força e coragem, restaurando sua energia para enfrentar as circunstâncias de maneira positiva. 

E que Mrs. Palacios encontre a paz que merece.





segunda-feira, maio 19, 2014

Deixe a culpa para trás

Muito se fala sobre não julgar os outros, o que é correto. A gentileza deveria fazer parte do comportamento de todos. Mas e que tal não julgar a si mesmo também? Já parou pra fazer um balanço do quanto você tem se auto-condenado nos últimos tempos?

Tenho percebido muito dos meus clientes remoendo-se em culpas gigantescas, muitas vezes bem maiores que o acontecimento que fez brotar esta sentimento.

Há alguns florais que considero libertadores. O Pine (Bach, na foto) é um deles. O motivo é que ele desafoga a pessoa de culpa, auto-acusação, remorso. Sentimentos que torturam a alma de alguém.

Errar faz parte do aprendizado da vida, não estamos livres disso. Reconhecer um equívoco é digno mas condenar-se _ e muitas vezes assumir uma culpa totalmente desproporcional ao acontecimento _ pode ser um passo (ou dois ou três ou muitos) para a autodestrutividade.

Em geral, esta faceta humana vem do sentimento de inferioridade ou da dificuldade em aceitar o prazer e o merecimento. São pessoas que estão sempre pedindo desculpas mesmo quando não tem a menor relação ou responsabilidade pelo ocorrido. Não sabem receber pois não se acham merecedoras. Por mais que paguem, continuam com o sentimento de dívida. E não estou falando de coisas materiais mas, sim, de afeto, de amor, de atenção.

Este floral liberta da culpa e da censura indevidas. Trabalha o sentimento de menos-valia. Permite que se siga em frente aprendendo com os erros mas não se deixando paralisar por eles.

Tome Pine (ou Pinus, de Minas), perdoe-se, liberte-se da autocensura e permita que sua potencialidade crie asas neste vasto mundo.



quinta-feira, abril 24, 2014

Amor é ação

Como mãe, acredito que qualquer exemplo é bem mais frutificante (existe esta palavra?) do que falatório.

Há algumas semanas meu filho chegou da escola muito impressionado com uma palestra sobre Rachel Joy Scott, uma das vítimas do atentado do massacre de Columbine (leia mais sobre ela aqui). A história da estudante virou um programa nacional escolar de prevenção da violência juvenil, baseada em sua vida e escritos.

A intensidade com que ele lembrava de um dado novo para dividir comigo me fez perceber que ele precisava extravasar os sentimentos sobre o fato de maneira mais profunda.

Sugeri a ele que procurasse o contato da mãe dela na Internet (viva o Google!) e enviasse algumas Word Rocks especiais que expressassem os sentimentos dele a respeito.

Dito e feito. Ele escolheu preparar Rachel, Joy (segundo nome de Rachel e que significa alegria em inglês) e eternity (eternidade em inglês). 'Mãe, vou escrever uma carta também', me disse, para meu orgulho. O resultado está na foto ao lado.

Ontem, recebi o mail de Beth, mãe de Rachel, que resumidamente dizia: 'Querida Carol, por favor avise a seu filho que eu recebi suas doces pedrinhas e que as coloquei numa caixinha especial de coisas da Rachel. Muito obrigada por pensar em nós. Bençãos, Beth'.

Por que divido isso aqui? Pra mostrar que amor é ação. Que dividir nosso afeto, pensar no outro, mostrar ao outro que estamos pensando nele, produz uma corrente de amor que afeta profundamente todos os envolvidos e inspira quem está no entorno.

Muita gente me escreve pra dizer que adoraria fazer alguma coisa pelo outro mas não sabe por onde começar. É tão simples. Abra seu coração, olhe em volta... o que mais existe é gente precisando de carinho, de ajuda, de atenção, de cuidado.

Que este post possa servir de inspiração a muita gente. Com amor, Carol.

E para quem quiser acompanhar o Word Rocks:

Facebook: Word Rocks (ou clique aqui)
Instagram: word_rocks (ou clique aqui)

terça-feira, abril 22, 2014

Afirmações positivas para crianças

Que tal ajudar seu filho a construir e alimentar pensamentos positivos? A procurar em cada situação - mesmo aquelas que pareçam difíceis - um viés positivo e confiante de se posicionar e agir com segurança e satisfação?
Não é mais novidade a ideia de que através dos pensamentos nós somos capazes de criar nossa realidade. Então, incutir isto nas crianças desde cedo as tornará mais flexíveis aos acontecimentos e com a autoestima fortalecida para encarar os diferentes acontecimentos da vida.
Porque, afinal, os pequenos também passam por situações de desafios, como mudança de escola ou provocacão (bullying) de outras crianças, por exemplo. E a maneira como elas reagem a tais situações é um reflexo direto de como se sentem. Ensiná-las a trocar o padrão de "ninguém gosta de mim" para "eu me amo e as outras pessoas me amam também" tem um poder de transformação incrível. Ajudá-las a pensar e, consequentemente, a agir construtivamente é maravilhoso.
Cada palavra expressa exerce uma ação sobre nós e o objetivo das afirmações é mudar o padrão de pensamento que pode levar ao comportamento de autoestima baixa. As mensagens positivas acabam sendo incorporadas ao inconsciente e passam a fazer parte da vida. Tendo o controle de seus pensamentos e palavras, as crianças podem construir um dia-a-dia mais positivo. E não é exatamente assim que a gente quer que nossos pequenos caminhem vida afora?
Caderninho das coisas boas
Eu costumo sugerir às mães que me procuram para usar os florais na melhora da autoestima dos filho(a), que elas façam com a criança o que eu chamo de caderninho das coisas boas, com anotações diárias de acontecimentos positivos. Pode ser algo que tenha divertido a criança, que lhe tenha provocado prazer ou alegria, um progresso, uma conquista. Vale também anotar alguma coisa boa que a criança fez a outras pessoas (emprestar um brinquedo, falar obrigado, fazer alguém sorrir). Se ela ainda não escreve, você escreve por ela. Mas também pode ser um desenho, uma colagem, qualquer coisa que represente positivamente os bons acontecimentos do dia.
Uma cliente de Fortaleza, Ceará, seguiu minha sugestão com o filho mais novo e colheu resultados que deixaram ambos muito felizes. "Meu filho chegava ansioso em casa para escrever o que havia feito de legal naquele dia, tipo: fiz aula tal, dei a mão para o porteiro, falei bom dia", conta ela. Eram gestos aparentemente muito simples, mas que para o pequenino eram grandes conquistas.
As anotações reforçam a ideia de que a vida tem muito mais coisas positivas do que negativas, tanto acontecendo quanto partindo da criança. É uma boa maneira de fortalecer a autoestima e de focar no que realmente vale a pena. Minha cliente concorda: "Acredito piamente que tudo, por menor que seja, uma palavra, uma atitude que vc faz para melhorar a autoestima de uma criança é válido porque ela sempre tira um proveito, uma lição".
Controlar os pensamentos negativos e transformá-los em afirmações e atitudes positivas afetam a realidade, construindo uma personalidade mais autoconfiante e, consequentemente, mais feliz. Quando uma pessoa repete as mesmas frases, acaba acreditando e as aceitando como verdades. Começando cedo a construir e alimentar pensamentos positivos, a caminhada pela vida fica mais leve, mais feliz e recompensadora. Ser feliz é uma decisão diária. A autoestima decorrente desta prática é algo que a criança levará para sempre.
Sugestões de afirmações positivas para crianças, de Louise Hay:
Ensine seus filhos a transformar afirmações negativas em positivas. Por exemplo:
Eu não gosto do meu cabelo - se transforma em Eu me amo exatamente como sou.
Se eu não fizer o que eles querem, eles ficarão zangados comigo - se transforma em Eu me posiciono no que acredito ser importante para mim.

Por que ninguém fala comigo? - se transforma em Eu estou cercado de amor.

Fiz bobagem mais uma vez - se transforma em Eu aprendo com meus erros e sigo em frente.

Não quero que aquela criança sente do meu lado - se transforma em Eu vejo o melhor em cada um.

Sugestão de leitura (infelizmente ainda sem tradução para o português):
Livro "I think, I am - Teaching kids the power of affirmations", de Louise Hay.
Livro "The adventures of Lulu", de Louise Hay

Livro "Incredible you - 10 ways to let your greatness shine through", de Dr. Wayne W. Dyer

segunda-feira, abril 14, 2014

Por onde anda a gentileza do carioca?

Na minha curta e intensa passagem pelo Rio de Janeiro, pude constatar o que os amigos cariocas vêm reclamando há tempos: o trânsito caótico, o custo de vida altíssimo, os péssimos serviços, a degradação da cidade.

Mas me chocou mesmo foi a cara carrancuda das pessoas e a total falta de delicadeza em geral. 

Gentileza passa longe do Rio. Ninguém dá sorrisos, ninguém dá um bom-dia na rua, ninguém abre espaço no trânsito, os pedestres que tomem cuidado e prestem atenção ao atravessar a rua no sinal vermelho. As manobras de carros e motos são selvagens. Sem sinalização ou velocidade adequadas, vale mesmo a lei do mais forte. Ou do mais mal educado, sei lá. Que medo!

Comentei sobre este meu espanto com quase todo mundo que encontrei _ e não foi pouca gente _ e as respostas eram quase sempre iguais: 'você não viu nada', 'aqui ninguém respeita ninguém', 'as pessoas só pensam em si mesmas', 'qualquer coisa é motivo de briga e discussão na rua', 'é mesmo uma tristeza'.

Pensei em tantas mensagens 'fofas' espalhadas em redes sociais sobre amor e gentileza. Mas, vou te contar, para ter valor, gentileza e amor têm que sair das telas e ir para as ruas!

O floral Lantana, de Minas, trabalha a harmonização de grupos. É indicado quando é preciso criar harmonia entre as atitudes individuais e as coletivas. Num grupo ou numa situação, é importante saber ouvir, saber quando se colocar, saber respeitar. Quando as pessoas agem pensando no coletivo e não apenas em sua satisfação ou vantagem própria, a harmonia em volta é mais facilmente atingida. Caso contrário é o caos generalizado sem amor, sem gentileza.


É possível usar o Lantana em gotas ou em sprays. Em casa, em sala de aula, em ambiente de trabalho, em salas fechadas. Quem sabe atingindo um pequeno grupo pra começar, estas pessoas possam contaminar positivamente as pessoas que encontrar e por aí vai.

Mais amor, por favor. O Rio merece.