domingo, novembro 02, 2008

Pessoas que amam demais

Elas cuidam, nutrem, aconchegam. Mas também cobram, sufocam, oprimem, controlam.

- Como você foi capaz de fazer isso comigo depois de tudo o que eu fiz por você?
- Eu faço isto pelo seu bem.

O floral Chicory (Bach) pertence ao grupo daquelas pessoas que se preocupam excessivamente com os outros e que, quando em desequilíbrio, sugam as pessoas amadas até estas não aguentarem mais.

O problema é que este comportamento pegajoso vem encoberto por uma falsa aparência de comportamento amoroso. A pessoa dá. Mas cobra. Reflexo da grande carência afetiva que traz dentro de si. O vazio emocional faz com que ela precise direcionar o afeto alheio para tentar suprir o vácuo que sente por dentro. São personalidades controladoras, que acabam sufocando o outro. O apego é grande demais.

Ciumentas e inseguras afetivamente, magoam-se e choram com facilidade e fazem chantagem emocional para conseguir atenção. E, se ainda assim não conseguem, entram numa de autopiedade que as faz acreditar piamente que são vítimas atrozes da ingratidão alheia.

A criança tipo Chicory detesta ser ignorada e, por isso, tende a grudar. Para conseguir atenção, apela mesmo. Faz manha, birra, chora, se joga no chão. É manipuladora e possessiva. Este floral também é de grande valia durante o desmame ou a ida para a creche.

O Chicory (na foto) ou o Chicorium (Minas) direcionam esta energia amorosa de maneira positiva, nutrindo a carência interior e trazendo o entendimento de que o verdadeiro amor acalenta, afaga mas respeita a liberdade e a individualidade alheia. O amor com desapego é aquele que não cobra. Eu amo e deixo livre dando a confiança e a certeza de que o afeto existe. Mas não cria amarras.