quarta-feira, abril 24, 2013

O grosseiro desnecessário

Como já postei aqui, eu e meu filho desenvolvemos um projeto chamado Word RocksResumidamente, nós catamos pedras nas praias, escrevemos palavras positivas nelas e espalhamos por aí. A idéia vem tocando o coração de muita gente. Mas de muita gente mesmo. De pessoas que encontram as pedras, de outras que se tornam voluntárias e levam as pedras para os mais diferentes países e da imprensa, que volta e meia escreve sobre o Word Rocks.

Recentemente, o projeto saiu na revista do colégio que eu e meu filho estudamos no Rio de Janeiro. O texto é meu e a alegria, nossa, de poder contar a história para cada vez mais pessoas.

Publiquei o texto na nossa página no Facebook (aqui). E entre os comentários recebidos, me surpreendi com este logo abaixo:



Cada um tem sua opinião e ninguém é obrigado a gostar das mesmas coisas. Mas me pergunto: é possível a pessoa se sentir bem sendo grosseira gratuitamente? Digo gratuitamente porque não a conheço e não pedi a opinião (quando, então, poderia ser sincero a respeito). Ela simplesmente foi lá e destilou toda sua amargura e falta de educação.


A julgar pelo jeito da pessoa se expressar, nota-se que é ranzinza e dona da verdade. Cansaço destas pessoas que confundem grosseria com autenticidade. 


Pessoas que se consideram donas da verdade não poupam argumentos, palavras e o que mais for preciso para provarem que seu ponto de vista é sempre o certo.

São intolerantes, não fazem rodeios e são de um comportamento que beira o fanático quando a questão é fazer prevalecer o ponto de vista deles. Ao se acharem donos da razão, são como um trator que passa por cima de qualquer um e dificulta qualquer possibilidade de viver em paz com os que estão a sua volta.

Na vida há que se ter suavidade, doçura e leveza. Um coração que sabe conciliar estas características com sabedoria, flui pela vida com brandura. Respeita a opinião alheia e entende que a verdadeira realização não é provar nada pra ninguém, mas viver em paz consigo mesmo

Conheça alguns florais que podem amenizar este comportamento que tanto mal faz a qualquer tipo de convivência.

Impatiens (Bach) - Palavras-chave desta essência: impaciência, irritação, intolerância. As pessoas que necessitam deste floral, não sabem fluir com os acontecimentos e assim desperdiçam as trocas sutis, amorosas e suaves com os outros.

Beech (Bach) - Indicado para quem é hostil e se expressa sempre criticando ou condenando os outros. Estão sempre julgando e não sabem perceber o valor da diferença nos outros.

Vervain (Bach) - Para aqueles que estão sempre tentando convencer os outros que suas ideias e crenças são as corretas. Traz a compreensão de que o mundo é repleto de pessoas que pensam e agem de maneira diferente e que deve haver respeito e compreensão por elas.

Cherry Plum (Bach) - Floral mais do que perfeito para aqueles que perdem o controle e tornam-se destrutivos e insanos.